Linguagens de Programação: O que você precisa saber antes de começar sua jornada como programador.

Tempo de leitura: 1 minuto

Aprender uma nova língua nos permite expandir nossos horizontes, e a mesma coisa acontece com linguagens de programação. Quer apostar? Então pensa assim:

Com quantas pessoas no mundo você conseguiria se comunicar hoje sabendo falar somente Português? 250 milhões (sim, eu procurei no Google). Até aí tudo bem, mas..

Se você aprender Inglês, este número aumenta para quase 600 milhões.
E se você aprender Mandarim então… este número vai para quase 2 bilhões de pessoas!

E se eu te perguntar hoje: Com quantos processadores você consegue se comunicar hoje?

Aliás, você sabia que a língua nativa que eles entendem chama-se Assembly?

Outra pergunta: Você sabia que nem todos os processadores falam a mesma língua, e você sabia que você pode, sim, se comunicar com todos eles sem falar a sua língua nativa?

Em resumo, é isso que a maioria dos programadores faz no seu dia a dia. Conversa com processadores, mesmo sem saber falar a língua deles, através de alguns tradutores que chamamos de Compiladores e Interpretadores.

Este é o assunto que eu cubro com mais detalhes neste quase-podcast, que eu gravei essa semana. Como parte deste experimento aqui (de ensinar programação), estou testando o formato de podcast em vez de vídeo.

Sem mais delongas, ouça aqui o episódio pra entender melhor o que são linguagens de programação, de alto nível, de baixo nível, e porque eu digo que ao contrário do que muita gente pensa, linguagem de máquina é na verdade “muito simples“.

**Aviso 1: Se você é novo por aqui e não recebeu meus e-mails anteriores, veja os posts do Modelo Orquestra e da Dupla Dinâmica antes de prosseguir.

**Aviso 2: No final do episódio eu faço umas perguntas que eu gostaria que você deixasse nos comentários a sua opinião.

Espero que tenha gostado deste conteúdo. Tenho certeza que em breve vamos debulhar umas linhas de código juntos.

Um Abraço!

 

  • Luis Cafori

    Fala Tiago!
    Mais uma vez aula incrível e muito bem elaborada, parabéns.

    Antes de comentar sobre o assunto de hoje, quero parabenizar você pelo curso de bash, muito bom mesmo, aprendi muita coisa, recomendo e pergunto vai existir uma continuação dele?

    Sobre o nome SalemPodcast parece bom, simples e eficiente, quanto ao formato eu prefiro vídeo, tenho a impressão que fico mais focado na aula, mas gostei desse formato também, sobre minhas duas colocações sempre melhor ouvir mais opiniões, principalmente na questão do formato porque eu ainda sou do tipo que gosta de leitura e anotações para fixar as informações.

    Fora dos assuntos das aulas, você já falou do seu canal algumas vezes, esse canal citado seria o próprio site? Pergunto porque localizei um canal seu no youtube os conteúdos que já passou no site não estão acessíveis.

    Agradeço as orientações e aguardo as próximas.

    • Fala Luis!

      Ganhei o dia com esse comentário sobre o curso de bash. 🙂 Eu fico extremamente satisfeito de saber que estou conseguindo ajudar outras pessoas com o meu conhecimento.
      Acho que em breve teremos uma continuação sim. Ainda em fase de preparação, mas quem sabe logo teremos alguma novidade.

      Obrigado pelas sua opiniões. Eu havia gravado este conteúdo em vídeo primeiramente, mas assistindo depois eu percebi que talvez em podcast ficasse melhor. Vamos ouvir as opiniões do resto do pessoal e aí vamos acertando o caminho por aqui.

      Sobre o canal, eu me refiro ao site mesmo. Eu geralmente uso o meu canal pessoal do youtube pra subir os vídeos (deve ser o que você encontrou), mas optei por inicialmente não deixar os vídeos públicos lá por medo das pessoas acharem o conteúdo de forma desordenada no youtube, e não virem o conteúdo em si que está no blog e que geralmente contextualiza o vídeo e traz mais algumas informações sobre o tema.
      Inclusive pensei nisso hoje mesmo, que talvez não seja um problema se eu avisar pra pessoa vir pro site, mas não sei se funcionaria na prática. Vou pensar um pouco mais a respeito.

      De qualquer forma muito obrigado pelo comentário e por acompanhar aqui!

      Abraço!

      • Marcos Ferreira

        Concordo em genêro, grau e número com o Luis Cafori, o curso de Bash está ótimo e também fico no aguardo de uma continuação, quem sabe também sobre expressões relacionas 🙂
        Desejo muito sucesso e obrigado por tudo que está realizando.

        • E aí, Marcos!

          Sensacional!
          Que legal que está acompanhando aqui no site também.

          Muito obrigado pelo comentário e pelo apoio. Assim que tivermos novidades sobre uma continuação do curso a gente avisa 🙂

          Abraço!

  • Felipe dos Santos

    Olá Tiago!

    Mesclar os dois tipos de conteúdo séria uma boa ideia pois acredito que para os conteúdos teóricos um podcast séria convenente se assim poderia dizer, e a trilha sonora ficou bacana.

    Abraços e até as próximas aulas.

    • E aí Felipe!

      Muito obrigado pelo comentário e pela opinião.
      Vamos ver o que o resto do pessoal acha, mas parece que mesclar os conteúdos de vídeo e audio é o caminho mesmo. (E talvez com conteúdos de áudio eu até consiga postar com mais frequência).

      Abraço.

  • Mauro Marssola

    Olá Tiago!
    Muito boa a aula… Bem interessante esse formato, mas também gosto bastante de vídeo, e também tenho recomendado para alguns amigos que estão iniciando na área, e mesclar o conteúdo seria bem interessante.

    E quanto ao Assembly, eu já cheguei a estudar um pouco o Assembly 16 bits, com o emulador EMU8086 (pra Windows), e cheguei até fazer um mini “DOS” usando um exemplo de micro-kernel do emulador, dava boot e tudo, foi bem legal… mas foi 6 meses de esforço que acabei perdendo o código… kkkkk, e deu um trabalho desgraçado. Estava tentando fazer um editor de texto, tipo o EDIT do DOS, e acabei desistindo por não achar material relacionado na época.

    Abraços

    • E aí Mauro! beleza?

      Que legal! Pra mim a melhor parte de programar em assembly é de entender no que nosso código de alto nível acaba sendo convertido no final das contas. Eu pessoalmente acho ruim começar direto em assembly, mas depois que a gente já sabe programar, é muito bacana de pelo menos entender como as coisas funcionam por debaixo dos panos.

      Tive a sorte de ter um professor de sistemas operacionais excelente que nos ensinou assembly. Na faculdade nós modificamos o ms-dos pra ele ser “multi-tarefa” direto em assembly. A gente usava a interrupção de timer pra desviar a execução de código pra outro processo (se não me engano) e assim implementava um scheduler próprio. Não foi muito trivial, mas a experiência valeu muito a pena.

      Obrigado por acompanhar e recomendar 🙂
      Abraço!

      • Mauro Marssola

        E aí Tiago, de boas e vc?

        Cara, Aprender Assembly foi uma esperiencia unica mesmo… Não sei se vc já ouviu falar de um S.O. feito todo em Assembly (32 e 64 bits), chamado MenuetOS… cara, sistema gráfico, conexão com rede, dispositivos… e o melhor, pesa apenas 1.4MB, dá boot pelo Disquete… Tem até o código-fonte no site.

        O único problema, é que só aprendi o Assembly 16 bits, e olhar o código do 32 e 64 bits foi um terror… kkkkk

        Abraços

  • Filipe C. Martins

    Olá Tiago.

    Muito boa esplicação sobre o basico de linguagem de alto e baixo nives e como ocorre a leitura dos mesmos pelo processador, eu gostei muito e meus parabéns ^^.

    Já tinha pesquisado e lido bastante coisa sobre o assunto, mas o seu resumo foi completo e deixou as coisas muito mais claras.

    Sobre a mesclagem de audio e video, eu acredito que quando precisar mostrar conteudos de código ou encinando a utilizar alguma ferramenta por exemplo, utilizar vídeo é o ecencial e quando for simplesmente falar sobre um conteudo simples possa estar utilizando o audio.

    Mas de qual quer forma, espero que não pare com o blog que mais e mais pessoas adote o seu blog para aprender, e que aqui juntos possamos aprender as linguagens que possa nos passar.

    Por favor, poste mais conteudo, falo por todos que queremos nos jogar nos códigos e começar a desenvolver coisas novas e contribuir com código para alguma organização linux ou até mesmo nos programas que tanto gostamos.

    Obrigado pela atenção.

    • Fala Filipe!

      Pode ficar tranquilo que vou continuar postando sim 🙂
      Vou tentar colocar conteúdo com mais frequência.
      Infelizmente criar conteúdo demanda tempo, mas a gente vai fazendo o que é possível hehe

      Fico feliz de saber que continua acompanhando por aqui.

      Abraço!

  • Zé Doreto

    Muito bom os dois formatos. Legal mesclar.

    • Legal Zé, obrigado! Vou pensar em uma forma legal de como mesclar o conteúdo.

      Abraço!

  • Haroldo Sales

    Muito Bom , seria bom mesclar os 2 ,pois ai vamos ter um amplo conhecimento , e cada dia mas aprendendo como entende a programaçao de modo mas facil entendimento

    • Valeu Haroldo!

      Estou pensando aqui como fazer essa divisão de conteúdo. Talvez utilizar vídeo para o conteúdo em si, e o podcast para tratar de assuntos relacionados à programação? Vou fazendo uns testes e coletando os feedbacks. 🙂
      Obrigado pela opinião.
      Abraço!

  • Bruno Andrade

    Olha muito boa a explicação esclarece muita coisa, eu acho que o vidéo junto seria legal por que estaria usando mais o potencial da internet, colocando exemplos e imagens, exemplo a isso é um exemplo de um assembly, a isso seria a alto nivel, isso baixo, ajuda a memorizar.

    • Obrigado pelo feedback, Bruno!
      Gostei das sugestões.
      Acabei migrando para vídeo mesmo para os conteúdos de programação. Vou manter o formato podcast pra eventualmente trazer alguma entrevista com colegas de trabalho ou outros conteúdos relacionados à programação, mas não o conteúdo técnico em si. Estes vou manter em vídeo mesmo.
      Abraço!

  • Jose Avelar

    Olá Tiago.
    Gostei muito da sua explicação. Sobre mesclar entre vídeo e áudio, o áudio seria mais viável para posts onde o conteúdo é mais teórico, como este. E os vídeos seriam bons para quanto for preciso mostrar alguns códigos ou para uma explicação teórica mais aprofundada. Gostei muito da sua explicação estou conseguindo entender melhor como o computador e os programas funcionam. Parabéns, muito boa a sua explicação.

    • Que legal, Jose!
      Obrigado pelo feedback. Fico feliz que o conteúdo está ajudando.
      Decidi seguir neste formato que você sugeriu mesmo. 🙂
      Abraço!

  • Chrysthofer Amorim

    Mescla Tiago, tem coisas que só se faz necessário ouvir já outras é legal mostrar mesmo principalmente os exercícios

    • Opa, obrigado pela sugestão!
      Resolvi mesclar mesmo.. na verdade acabei não postando mais podcasts hehe. Mas tenho uns na manga esperando para serem publicados.
      Abraço!
      (ps: eu sou da época que lol significava laughing out loud 🙂

  • Tiago Santos Silva

    Eu gostei desse contudo, e devia na próxima colocar na EAD Diolinux como a Shell Script e Bash.

    • Obrigado pela sugestão, Tiago.

      Eu pretendo deixar pelo menos estes conteúdos de linguagem C/programação públicos.
      Nem poderia considerar colocar no Diolinux EAD como curso completo por enquanto (como o de bash e o de shell) pois estou desenvolvendo o material aos poucos ainda 🙂
      Abraço!