Linguagens de Programação: O que você precisa saber antes de começar sua jornada como programador.

Tempo de leitura: 1 minuto

Aprender uma nova língua nos permite expandir nossos horizontes, e a mesma coisa acontece com linguagens de programação. Quer apostar? Então pensa assim:

Com quantas pessoas no mundo você conseguiria se comunicar hoje sabendo falar somente Português? 250 milhões (sim, eu procurei no Google). Até aí tudo bem, mas..

Se você aprender Inglês, este número aumenta para quase 600 milhões.
E se você aprender Mandarim então… este número vai para quase 2 bilhões de pessoas!

E se eu te perguntar hoje: Com quantos processadores você consegue se comunicar hoje?

Aliás, você sabia que a língua nativa que eles entendem chama-se Assembly?

Outra pergunta: Você sabia que nem todos os processadores falam a mesma língua, e você sabia que você pode, sim, se comunicar com todos eles sem falar a sua língua nativa?

Em resumo, é isso que a maioria dos programadores faz no seu dia a dia. Conversa com processadores, mesmo sem saber falar a língua deles, através de alguns tradutores que chamamos de Compiladores e Interpretadores.

Este é o assunto que eu cubro com mais detalhes neste quase-podcast, que eu gravei essa semana. Como parte deste experimento aqui (de ensinar programação), estou testando o formato de podcast em vez de vídeo.

Sem mais delongas, ouça aqui o episódio pra entender melhor o que são linguagens de programação, de alto nível, de baixo nível, e porque eu digo que ao contrário do que muita gente pensa, linguagem de máquina é na verdade “muito simples“.

**Aviso 1: Se você é novo por aqui e não recebeu meus e-mails anteriores, veja os posts do Modelo Orquestra e da Dupla Dinâmica antes de prosseguir.

**Aviso 2: No final do episódio eu faço umas perguntas que eu gostaria que você deixasse nos comentários a sua opinião.

Espero que tenha gostado deste conteúdo. Tenho certeza que em breve vamos debulhar umas linhas de código juntos.

Um Abraço!